I Coríntios 3:9  - Mateus 9:37,38

Encher-se de flores, reviver, este é o ciclo da vida da igreja; planta, nasce, cresce, fica adulta, gera semente, semeia, colhe, e isso acontece continuamente gerando grandes reflorescimentos para manter sua existência até o arrebatamento.

Deixando as coisas que para trás se foram, prossigamos para o alvo de um próximo ano, se o Senhor quiser nos dar, cheio de vitórias na saúde, paz, projetos, conquistas e  um espírito tranqüilo em Jesus.

Fim de ano! Presentes, passeios, trabalhos e mais dinheiro, fazem parte da dimensão humana vividos nesta época, porém, como filhos de Deus, pensamos nas coisas lá de cima, onde Cristo está, e cuidamos de nossas obrigações aqui até que o Senhor venha.

“Aviva, Senhor, a tua obra no meio dos anos, no decurso dos anos faze-a conhecida...!” - Habacuque 3:2b.

De modo oficial, podemos dizer que o Avivamento Bíblico nasceu a 7 de setembro de 1946, em meio aos eucaliptos que havia no pátio, aos fundos da Faculdade de Teologia da Igreja Metodista do Brasil, em Rudge Ramos, município de São Bernardo do Campo. Um grupo de irmãos metodistas, das igrejas de Tucuruvi e Vila Mazzei, bairros da capital paulista, estavam crendo no batismo com o Espírito Santo como uma experiência pessoal (e muitos deles já haviam experimentado tal plenitude) e, reunidos nesse local, juntamente com os então seminaristas Mário Roberto LindstronOswaldo Fuentes e Alídio Flora Agostinho, resolveram continuar a Obra iniciada no seio da igreja, sob qualquer circunstância. Esta decisão tornou oficial o Movimento, por isso que essa é a data em que se comemora o seu aniversário.

... se permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos...” – João 8:31.

 O termo discípulo compreende o significado daquele que segue alguém e submete-se. Enquanto o termo submissão significa uma atitude interior de confiança no que está liderando sobre nós.

À nossa querida e amada grei avivalista!

O ano de 2010 foi de expectativa cumprida com muita dedicação, no qual a busca das metas foram constantes, por meio da obediência e da fé. Estivemos neste período colhendo frutos abundantes, quando mesmo em momentos difíceis, mas com os estímulos da paz, da unidade e do amor tanto na família como na igreja, finalizamos debaixo das bênçãos do Senhor Jesus Cristo, sem medo sendo fiel a Deus.