Igreja Evangélica Avivamento Bíblico, 64 anos de uma linda e magnífica história marcada por resignação, luta, persistência, fé e visão por uma igreja com o fim de salvar, edificar e santificar e esperar a volta do Senhor Jesus.

 Nessa santa vocação, destaco entre outros, três ilustres homens de Deus que não abandonaram a visão avivalista de orar e trabalhar por avivamento no Brasil e no mundo, que com grande esforço, fé e empenho se dedicaram valorosamente expressando amor à causa, dando suas preciosas vidas à serviço do Reino:

O processo de renovação está presente nas mais diversas áreas da vida, não sendo diferente na dimensão espiritual. É significativo que mesmo após o Pentecoste, quando o Espírito Santo veio sobre os cristãos reunidos no cenáculo e todos foram cheios, lemos ainda outras vezes na Escritura, que foram novamente cheios do Espírito em outras ocasiões. Como será isto se eles já haviam sido cheios do Espírito? Claramente se pode observar então, que há um processo de renovação presente nesta manifestação e concessão de Deus para com seu povo. O apóstolo Paulo quando escreve sua carta aos efésios, lembra-lhes: “... mas, enchei-vos do Espírito...”, e ao escrever aos romanos diz: “... transformai-vos pela renovação do vosso entendimento...”, apresentando a idéia de constante “enchimento”, ou seja, novamente o processo de renovação.

Em toda atividade que realizamos como igreja do Senhor Jesus Cristo, ao cumprirmos as tarefas que nos são confiadas, sabemos que não poderemos completa-las sem a unção; ela é de fundamental importância neste processo. Por isso, queremos denominar este ano como o ANO DA UNÇÃO, quando nos empenharemos em continuar diante do trono para que não percamos a unção, como também que ela nos seja intensificada, para o pleno crescimento.

Como sempre falaram nossos pioneiros citando as Escrituras: “... até aqui nos ajudou o Senhor!”. Temos muito que celebrar pelas vitórias e conquistas que Deus nos tem concedido ao longo de nossa caminhada cumprindo a missão que o Espírito Santo nos tem confiado.

Quero neste início de ano, convidar aos amados pastores, presbíteros, missionários e missionárias, dirigentes de congregação, líderes de ministérios e obreiros na Causa Divina, a manterem acesa a Chama do Avivamento, não desanimando ante aos desafios que este novo ano nos apresentar, mas sim continuar o trabalho que o Mestre nos tem confiado, pela recompensa reservada “... ao que vencer...”.

Os dias em que vivemos, apesar de todo avanço tecnológico, científico e cultural que facilitam em muito boa parte da vida das pessoas, trazem consigo também um enorme peso diante de novos e inusitados desafios.

Assim é que também, os dias em que vivemos têm produzido como nunca uma dimensão terrível de desânimo. Esperança não tem sido mais uma palavra constante no linguajar e vocabulário das pessoas quais sejam as classes e níveis em que se encontrem. Cada vez está mais difícil crer nas pessoas, nas instituições e até mesmo nas propostas de conhecimento apresentadas. Um quadro desolador se mostra na linha do horizonte da atualidade. O desânimo é simplesmente horrível e traz frustrações.